Luxo (Luxo #1), Anna Godbersen

Luxo
Luxo #1
Anna Godbersen | Rocco | 400 págs. | Skoob

Todo o fascínio da Nova York da virada do século XIX para o XX, quando Manhattan começava a se transformar no coração do mundo, a Quinta Avenida abrigava as mansões de algumas poucas e abastadas famílias e os jovens da alta sociedade se exibiam em fabulosos vestidos e elegantes fraques em animados bailes madrugada adentro, está em Luxo, primeiro volume da série The Luxe, da norte-americana Anna Godbersen, que chega às livrarias brasileiras pela Rocco Jovens Leitores. Espécie de “Gossip Girls de época”, a série ganhou o aval de Cecily Von Ziegesar, autora da série sobre as patricinhas de Nova York. “Quando comecei a ler Luxo, não consegui parar mais”, diz. E as leitoras brasileiras hão de concordar, afinal, o livro prende a atenção da primeira à última linha, com uma trama cheia de glamour, intrigas e romance, embalada por uma deliciosa reconstituição histórica.

Luxo conta a história das irmãs Elizabeth e Diana Holland, filhas da alta sociedade nova-iorquina, levando uma vida de luxo e sonhos, mas cercada de intriga, inveja, escândalos, paixões proibidas, interesses e desilusões; um mundo de aparências onde não cumprir as regras sociais pode levar ao ostracismo e seguir o coração pode custar ainda mais caro. Pelo menos, é isso que Elizabeth Holland pensa quando decide se casar com o charmoso Henry Schoonmaker, o solteiro mais cobiçado de Nova York, num típico arranjo familiar. Diana, no entanto, não está tão interessada em obedecer às hipócritas regras da vida social quanto sua irmã mais velha. Assim como a traiçoeira Penelope Hayes, que não pretende deixar barato o casamento do rapaz mais interessante da cidade.

Cruzando os caminhos desses quatro adolescentes que vivem com os hormônios em ebulição, frequentam os melhores salões de Manhattan e têm suas vidas retratadas diariamente nas colunas sociais, estão Will, o jovem cocheiro da família Holland, e Lina Broud, uma criada disposta a tudo para mudar de vida e que guarda um segredo sobre Elizabeth capaz de chocar até mesmo as moças mais liberais da cidade.

Com uma narrativa envolvente e uma prosa tão elegante e irônica quanto cada ato de seus personagens, Anna Godbersen conduz o leitor até um final surpreendente. E em meio a esta trama repleta de romance, dissimulação e pitadas de mistério, reconstrói costumes e cenários com maestria, traçando um rico painel da juventude nova-iorquina da virada do século passado. Um luxo!

A série Luxo se passa em 1899 e gira em torno da alta sociedade de Nova Iorque. Como sabemos, gente rica gosta de ostentar, contar vantagem e manter as aparências. Se ainda é assim hoje em dia, imagina só naquela época. E é sobre isso que a história fala: os segredos obscuros dessa gente, suas intrigas e as mais variadas estratégias para dar continuidade a essas atitudes, digamos, pecaminosas, enquanto ainda são vistos como pessoas "de bem". Pelo menos é isso que a sinopse e as orelhas sugerem, mas não é bem isso que Godbersen oferece ao leitor.

Quando pensei em segredos obscuros, não imaginei romancezinhos proibidos e sabotagens de casamentos. As intrigas e mentiras desse livro vêm de adolescentes e são sem graça. Claro que naquela época até o mais simples dos espirros podia se tornar uma escandalosa nota de jornal, mas o público-alvo já não é mais aquela sociedade pudica. Pra mim, esses segredinhos feriam uma moral muito distante da minha e, na verdade, nem sequer chegavam a ferir nada, a não ser a minha paciência.

O prólogo conta o funeral de Elizabeth Holland, uma das damas mais bem vistas e tradicionais desse cenário nova-iorquino e protagonista da história. Esse foi um erro fatal: O final é justamente esse funeral, então tudo foi adiantado. Antes da metade do livro eu já sabia como Elizabeth ia se desvencilhar de seus problemas. Agora imaginem só você não estar gostando da história e ainda saber como ela vai terminar (e estar certa!). 

A salvação foi a escrita de Godbersen que é deliciosa, fluida e tranquila. Mesmo em terceira pessoa, dá pra se ter noção de quem é quem. Em Luxo, os personagens não conseguem fugir de si mesmos. 

Acho que é um livro razoável pra relaxar de uma leitura prévia mais pesada, talvez. O problema é que, pra mim, essa temática já não funciona mais, pelo menos não com esses casos adolescentes previsíveis. Nenhum personagem me conquistou. A única promissora - Diana Holland, irmã mais nova de Elizabeth - não passa, também, de uma dama assustada com os mesmos desejos de todas as garotas de sua idade. Talvez cresça na série.

Tomem cuidado com esses yound adults de fofoca. Se a sua fase Gossip Girl já passou, esse não é o livro pra você.

Comentários

Postagens mais visitadas