Fazendo Meu Filme 1, Paula Pimenta

A Estreia de Fani
Fazendo Meu Filme #1

Paula Pimenta | Gutenberg | 327 págs. | Skoob

Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. “Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.

Fazendo Meu Filme conta a história de Fani, uma adolescente mineira que enfrenta problemas típicos de uma garota de dezesseis anos: a paixonite pelo professor mais velho e charmoso, o melhor amigo que começa a se afastar, as notas baixas... Falando assim, parece ser a coisa mais simples do mundo. E realmente é.

Gente, eu não dava nada nesse livro da Paula Pimenta. Estava esperando uma história bobinha e me surpreendi quando encontrei justamente isso, mas sob uma ótica completamente diferente. Paula escreveu a história de um jeito que encanta mesmo com a sua simplicidade. Se FMF fosse mesmo um filme, seria uma comédia romântica fofinha e divertida.

Me identifiquei bastante com a protagonista. Fani não se destaca pela beleza, inteligência, por nada disso. Ela é só uma garota comum tímida demais que gosta de filmes e ficar em casa. O trecho a seguir me encantou completamente:

(...) que essa era a 79ª vez que ela dizia que esta noite ia ser única e que, se o amor da minha vida estivesse em um bar desses, com certeza ele não seria o amor da minha vida. O verdadeiro amor da minha vida naquele momento deveria estar em casa, lendo, ou quem sabe aproveitando a véspera do feriado para fazer alguma coisa importante na internet ou nas enciclopédias que ele deve ter...
A princípio a história parecia que não ia levar a lugar algum, sem uma trama principal muito definida. Geralmente isso me incomoda demais e já me faz ficar com um certo preconceito pelo resto da leitura, mas a escrita da Paula é tão fluida que continuei até a trama se situar. O ritmo é estável e só vai adquirindo aquele ar de tensão bem pro finalzinho mesmo.

Além disso, gostei bastante da realidade, no sentido mais literal da palavra, retratada pela autora. Em Fazendo Meu Filme, os adolescentes bebem, por exemplo. É muito comum encontrar na literatura brasileira contemporânea uma imagem artificial da nossa juventude. Essa foi, inclusive, uma das maiores surpresas desse livro. Não encontrar uma atmosfera de Malhação foi uma das coisas que mais me conquistou.

Fazendo Meu Filme foi uma ótima leitura pra começar o ano. Tem todo um clima de férias, de verão. Super indico pra quem precisa relaxar e suspirar um pouquinho! :-)

P.S.: Amor, obrigada pelo presente e feliz 4 anos e 4 meses de namoro <3

Comentários

Postagens mais visitadas