A Menina que Brincava com Fogo + A Rainha do Castelo de Ar, Stieg Larsson

A Menina Que Brincava Com Fogo

A Menina Que Brincava Com Fogo
Millenium #2
Stieg Larsson | Cia. das Letras | Skoob

Dos três, esse é o melhor livro. Aqui, todas as "lacunas" na vida de Lisbeth Salander são preenchidas e nós ficamos sabendo o que aconteceu na vida dessa mulher para que ela fosse assim, desconfiada e sozinha. E não foi pouca coisa não, viu. Os próprios personagens reconhecem a história maluca por trás de Lisbeth Salander, uma espécie de conspiração. Mesmo assim, os detalhes são intrincados e o enredo tão complexo que você fica com aquela sensação que sim, uma coisa dessas pode ser possível, mesmo num país de primeiro mundo como a Suécia.

Aliás, a trama não é complexa no sentido de entendê-la. Só é preciso ler com atenção, pois são muitos personagens envolvidos, de muitas instituições e ambientes diferentes. Uma hora você pode se perder. Mas mesmo eu, que sou bastante lerda e me perco em histórias como As Crônicas de Gelo e Fogo, não perdi o fio da meada.

A Rainha do Castelo de Ar

A Rainha do Castelo de Ar
Millenium #3 
Stieg Larsson | Cia. das Letras | Skoob

Esse livro não perde em qualidade para os outros dois, mas perde em ritmo. Não há nada de muito novo dessa vez, nada revelador. Aqui, há somente Mikael e a polícia tentando resolver o enigma envolvendo Zalachenko, Lisbeth e a Säpo. Só que o leitor já sabe desde o começo a história, então só acompanhamos os personagens reunindo provas e colocando tudo no lugar. De qualquer maneira, a leitura não é menos interessante por isso, talvez só menos estimulante. E pra compensar, a cena do terceiro dia de julgamento da Lisbeth,  protagonizada pela irmã de Mikael, Anika Gianninni, é simplesmente SENSACIONAL.

Agora, não sei se sou burra ou é complicado mesmo por não ter entendido o título. Precisei procurar na internet e achei aqui. Mesmo com essa explicação, acho que poderia ter sido melhor.

Impressão geral

Essa trilogia é muito boa. Acho que nunca tinha lido romances policiais tão intrincados e com uma rede de informações tão complexa. Como já disse na primeira resenha (clique aqui para ler), só foi possível explicar esse emaranhado através do tamanho dos livros que não é nada convidativo. Tenho esse box há tempos, mas confesso ter ficado cheia de medo de ser difícil e não terminar nunca de ler.

Mesmo depois de todas essas páginas, não consegui me acostumar a essas palavras que tem mais consoantes do que vogais. Passava por elas sem ler de fato, pulando mesmo. Nunca gravava o nome dos lugares direito, o que me confundia bastante. Uma hora passei a anotar num caderno as informações que julgava importantes, pra não me perder.

Por último, gostaria de falar um pouco do autor. Gosto do Stieg Larsson como pessoa. Deu pra perceber que ele construiu seus personagens (os legais) da forma como ele gostaria que a sociedade fosse, espelhando essa sociedade no resto dos personagens, os "maus". Ele descreveu vários tipo que encontramos por aí, principalmente os machistas: o cara que não consegue trabalhar com mulheres, o que não aceita ser ameaçado por mulheres, o que se sente dono de mulheres etc. Aliás, toda essa trilogia tem um quê muito feminista. Fiquei com vontade de ler seu livro de não-ficção também.

Infelizmente, Stieg Larsson já faleceu. No site dele, sua viúva, Eva, conta que sua intenção era publicar dez livros (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!) no universo Millenium. De fato, mesmo com toda a elucidação do segundo livro, ainda faltam algumas coisas. Ainda não sabemos por qual motivo exato Lisbeth fez a enorme tatuagem de dragão nas costas, a que deu título ao filme americano. Sabemos apenas que foi feita por algum motivo marcante na vida da Sally e esse motivo seria explicado no quarto livro, que estava quase terminado. Como sabemos, o trabalho foi tragicamente interrompido, mas Eva se acha capaz de terminá-lo. Porém, uma briga judicial entre ela e a família de Stieg impede a publicação do que seria God's Revenge.

Muito triste essa história. Stieg parece ser uma cara decente, gostaria muito que ele tivesse tido a chance de ver o sucesso que foram seus livros e de ter aproveitado os frutos que eles rederam. Ele merecia.

Comentários

Postagens mais visitadas