A Rainha da Fofoca Fisgada, Meg Cabot

ATENÇÃO! Essa resenha contém spoilers se você não leu os livros anteriores da trilogia.


Fisgada
A Rainha da Fofoca #3
Meg Cabot | Galera Record | 445 págs. | Skoob


No último livro da série bestseller do New York Times, a vida não podia estar melhor para Lizzie! Ela parece ter tudo o que sempre quis: conseguiu um emprego em Nova York, está fazendo aquilo que mais gosta trabalhando numa loja de restauração de vestidos de noiva e Luke, seu namorado gatíssimo e cheio da grana, finalmente a pediu em casamento.Mas por que será que Lizzie não consegue ficar satisfeita por estar a alguns passos do altar? Parece que ninguém está se importando com o que Lizzie quer fazer da vida! Só sua avó – com seu jeito peculiar –, suas funcionárias na Chez Henri e uma cliente celeb louca de pedra para clarear suas ideias e mostrar que seu futuro estava ali ao seu lado o tempo todo...

Antes de mais nada, foi um absurdo Lizzie ter aceitado o pedido de casamento de Luke. Apesar de confirmarmos a resposta positiva só no começo do terceiro livro, ninguém duvidava de um SIM, certo? E nem estou dizendo isso porque não gosto do Luke ou qualquer coisa do tipo, mas sim porque é um absurdo Meg Cabot colocar sua protagonista pra casar com alguém cujo relacionamento tem só SEIS MESES de duração. Ela sempre construiu personagens mais parecidas com a gente, pessoas comuns, que correm atrás dos seus sonhos e têm opiniões fortes, e mesmo assim deu a Lizzie uma decisão tão desmiolada. Porque, sério, ninguém casa com um namorado de seis meses, né?

Né? Espero não ver nenhum de vocês fazendo isso.

Sendo uma autora importantíssima no meio jovem feminino, Meg não deveria estimular esse tipo de comportamento nas meninas de 13 anos (as quais não deveriam estar lendo esse livro porque, como eu disse na resenha do primeiro, ele é mais adulto e tal). Meg é uma formadora de opinião e é como se essas meninas pensassem "bom, se a Cabot disse, então eu posso fazer". Mas logo no comecinho da história a gente percebe o desconforto de Lizzie com a decisão de se casar e o desfecho vai tratar dessas questões: o motivo da decisão de se casar com Luke, se isso é realmente uma boa ideia e o andamento da sua carreira profissional.

Apesar de achar esse noivado um absurdo, também não achei bacana como o romance foi jogado pra cima de Chaz. Sim, minha gente. Deu pra notar a preparação de terreno para um lance entre Lizzie e Chaz, mas foi tão sutil que só percebi em A Rainha da Fofoca Fisgada. E nem é spoiler falar do envolvimento deles porque isso fica claro logo nas primeiras páginas. A princípio pareceu forçado, principalmente porque Chaz alega estar apaixonado de verdade por Lizzie. Parece fragilidade emocional pra mim, pois ele acabou de sair de um relacionamento super sério com Shari.

Com o desenrolar da narrativa, a gente vai se apaixonando pelo Chaz e lembra de como ele era um namorado maravilhoso pra Shari. Vocês lembram como ele até lavava a roupa dela? Bom, e agora? Como Lizzie vai fazer pra sair dessa confusão (de se casar com Luke porque ela acha que casamento é uma coisa maravilhosa e não porque o ama de verdade) na qual ela mesma se meteu?

Não tem muito o que falar. Esse foi o melhor livro dos três, sem dúvida nenhuma. Todo o cuidado com que ele foi feito me deixa encantada. Novamente, as transições entre capítulos tem uns "extras", além das citações nos começos dos capítulos. Só ratifico aqui minha opinião sobre o marketing. Lizzie não tem nada de fofoqueira e ficar repetindo isso durante todos os livros deixou a construção da personagem mal feita. As tagarelices dela não acontecem com tanta frequência assim.

Enfim, gostei muito dessa trilogia. Dá pra aprender bastante sobre relacionamentos e até mesmo um pouco sobre carreira profissional. Pretendo comprá-los em inglês hardcover pra deixar na minha estante, pra nunca esquecer o que aprendi com essas leituras <3

Comentários

Postagens mais visitadas