Asas, Aprilynne Pike

Antes de começar, um aviso: essa sinopse dá MUITO SPOILER.


Asas - Série Fadas #1
Aprilynne Pike | Bertrand | 287 págs. | Skoob



Laurel foi encontrada na porta da casa de seus pais adotivos e sempre estudou com a mãe. Aos quinze anos, após se mudar para uma nova cidade e se matricular em uma escola, sua vida muda completamente. Para começar, desde sempre solitária, ela ganha um grupo de amigos e um admirador apaixonado, David. E isso será apenas o início. À primeira vista, Laurel é uma garota comum, com os problemas de qualquer adolescente. O que a diferencia, porém, é ter um segredo maravilhoso e perigoso: ela é uma fada e tem a missão de proteger o portal de Avalon.

Asas conta a história de Laurel, uma estonteante adolescente de quinze anos que, além da beleza fora do comum, possui outras peculiaridades como não se dar bem com comidas industrializadas, quase nunca sentir fome, frio etc. Esse conjunto foi um fator muito favorável porque foge daquela heroína deslocada, excluída, comum etc. Mas, mesmo assim, não impede de Laurel ser enjoadinha e até fresca demais em alguns momentos.

O grande problema de Asas foi a antecipação do grande mistério, que é o de Laurel ser uma fada. Isso também aconteceu em Sereia, da Tricia Rayburn. Desde o começo, por conta do título da série, a gente sabe qual é a espécie mitológica de Laurel. Acho isso muito ruim, pois se não vamos descobrindo as coisas junto com o personagem, metade da graça vai embora. E, como se não bastasse, o papel de Laurel no mundo mágico demora muito a ser definido - passa da metade do livro - e, enquanto isso, o plano de fundo não é sólido, não é denso, não é nada. Achei a maioria do livro uma grande chatice, sem nada de muito especial acontecendo. O único caminho interessante eu já sabia onde ia dar, então fiquei procrastinando essa leitura quando poderia ter terminado muito mais rápido.

Bom, como todo YA não PODIA faltar um triângulo amoroso, né? De um lado temos David, o pobre humano confinado a uma triste friendzone. O cara tranquilo que oferece segurança, carinho e estabilidade a nossa personagem. Do outro, está Tamani, um atraente elfo que deixa Lauren com "borboletas na barriga", confunde suas emoções e sentidos e pelo qual sente uma atração inexplicável.

Na boa, não sei o que eu esperava. Fiquei muito revoltada com essa história estereotipada de triângulo amoroso, com dois tipos de garotos que aparecem em todo santo YA. Com um tema diferente do que temos visto na mídia, esperava algo mais diversificado. De qualquer forma, os dois personagens são fofos ao seu modo, embora já os tenhamos visto milhares de outras vezes.

Outra coisa muito ruim a respeito da parte amorosa do livro é a piranhagem de Laurel. Sério mesmo, se eu fosse amiga dessa garota daria dois tapas na fuça dela e mandaria que tomasse jeito. Normalmente, quando nossas mocinhas se veem divididas entre dois garotos, elas relutam em ficar com eles ou escolhem um enquanto pensam no outro. Ela não! Se joga em cima dos dois, coloca suas esperanças nos dois, procura proteção nos dois AO MESMO TEMPO. Achei muita cafagestagem. Laurel nem parece se sentir culpada na maior parte do tempo, como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Aham.

Tenho pena do David. O cara é todo fofo, sai de casa no meio da noite quando ela liga, guarda os segredos mais sombrios da garota e ainda precisa aturar essa indecisão maldita enquanto ela fica se engraçando pra uma árvore no meio da floresta! Bitch, please.

Ah, gente, fiquei muito decepcionada com esse livro, esperava bem mais de uma história com um tema diferente como fadas. A única coisa legal foi justamente isso, essa espécia nova, tão diferente das fadas que a gente conhece. Aprilynne não pecou na criação de seres mitológicos e universos mágicos, esse aspecto ficou bem bacana.

Enfim, mesmo com todos esses aspectos negativos, dei três estrelas lá no Skoob porque bom, é um YA, acho que não podia esperar muito mais que isso...

Comentários

Postagens mais visitadas