1º A Morrer, James Patterson


1º A Morrer
Clube das Mulheres Contra o Crime #1
James Patterson | Rocco | 374 págs. | Skoob



Em uma narrativa de tirar o fôlego, James Patterson nos apresenta Lindsay, Claire, Jill e Cindy, as integrantes do Clube das Mulheres Contra o Crime. No primeiro livro da série, o desafio desse grupo é investigar a identidade de um serial killer que assassina homens e mulheres que acabaram de se casar.

O ponto de partida da narrativa é o brutal assassinato de um jovem casal em lua-de-mel num hotel cinco estrelas de São Francisco, crime que, com pequenas variações, se repete em duas outras cidades norte-americanas, deixando claro que se trata do trabalho de um assassino em série. Indignadas com a ação empreendida pela polícia no caso, quatro mulheres destemidas - a inspetora de homicídios Lindsay Boxer, a médica legista Claire Washburn, a repórter policial Cindy Thomas e a assistente da promotoria Jill Bernhardt - resolvem unir forças para descobrir e prender o assassino. Assim nasce o Women's Murder Club ou Clube das Mulheres contra o Crime, desvendando crimes entre uma margarita e outra e altos papos sobre comida, homens e sexo.

Sinopse retirada do Skoob
1º A Morrer foi uma grata surpresa. Não me lembro de ter lido outros romances policiais recentemente ou ao longo da minha jornada literária. Isso pra vocês verem como estou limitada a minha zona de conforto dos YAs. Porém, se estou tão fechada em um gênero, por que comprei 1º A Morrer?

Quem me acompanha aqui no blog está ciente da minha fraca tendência feminista. Não sou nem um pouco ativa no movimento, mas concordo com a existência de um preconceito de gênero mascarado. Por isso adoro quando há personagens fortes, indo contra todas as expectativas. A ideia de ter um grupo de mulheres desvendando crimes complicados em um meio dominado por homens me chamou a atenção. Esse, porém, foi um ponto decepcionante.

O foco de James não foi o Clube das Mulheres Contra o Crime. A maioria absoluta dos capítulos foi narrada por Lindsay Boxer, inspetora do departamento de homicídios. O clube só foi formado lá pela página cem, não consigo lembrar com clareza, e mesmo assim grande parte das soluções veio ou de Lindsay ou de sua amiga legista, também parte do clube, Claire. Na minha cabeça, as quatro mulheres iam sair investigando tudo completamente por conta própria, tipo as Panteras ou alguma coisa do tipo.

~Altos risos~

Mesmo assim, não há porquê tirar o mérito do livro. A trama é extremamente cativante. Como todo bom romance policial, você fica vidrado querendo saber quem é o assassino. Sua mente começa a trabalhar em conjunto com os personagens e fiquei bastante orgulhosa quando desvendei o mistério e descobri quem era o culpado antes mesmo da Boxer. Ah, gente, isso não é spoiler. Todo mundo sabe que, no final, o culpado seria revelado.

Paralelo ao mistério dos noivos, a vida pessoal de Lindsay também sofre abalos e ela pecisa conciliar seus problemas com a pressão do trabalho. Esse ponto não recebeu muita atenção. Pareceu só um step pra história não ficar concentrada somente nos assassinatos, como se precisasse ter um toque de emoção.

Por falar em emoção, achei as personagens bastante comuns. Todas são inteligentes e dedicadas ao trabalho, mas nada muito especial. Nesse primeiro volume, só ficamos íntimos de Lindsay, as outras mulheres ficaram meios apagadas. Pela sinopse de 2a. Chance, será a mesma coisa. Gostaria de saber mais sobre as histórias e pensamentos de Claire, Cindy e Jill.

Bom, gostei muito desse livro. Até chorei no final! Faz tempo que não choro com um livro. Logo eu, a personificação das cataratas do Iguaçu.

Por último, gostaria de comentar sobre o trabalho porco da Rocco. Não costumo ter facilidade pra notar erros de tradução, mas esses foram tão grotescos ao ponto de até eu perceber. Várias falas e piadas ficaram sem sentido e, além disso, a revisão também deixou muito a desejar. E não era pra ter sido assim. Deu pra sentir que dava pra ter sido uma parada mais bem feita e ficou desse jeito por puro desleixo. Várias vírgulas fora do lugar, inclusive no lugar de pontos finais. Triste.

Porém, não deixem se abalar por isso. O livro é muito bom e a trama muito inteligente. James Patterson me conquistou!

Comentários

Postagens mais visitadas